Estrada de Ferro Santa Catarina


O início do passeio turístico – histórico – cultural Estrada de Ferro Santa Catarina, se dá no centro da localidade de Subida, município de Apiúna ( SC ) , altitude de 130 mts, as margens da Estrada Geral Subida.Nos 2,8 kms do trajeto, os visitantes são contemplados com um túnel de 68 mts, que ocorre já no Km 0.290, de um viaduto de pedra com dois arcos em estilo românico, com 12 mts de altura, que ocorre no Km 0,565, de uma passagem superior também em estilo românico que ocorre no Km 0,718, para então adentrar a um profundo corte de 170 mts de extensão. A partir do Km 1,444 a ferrovia adentra um trecho de mata atlântica preservada até a entrada do pátio da Usina Hidrelétrica Salto Pilão, a partir de onde os passageiros podem contemplar a paisagem do Rio Itajaí – Açú e da rodovia Br 470. O término do passeio ocorre dentro do pátio da usina, aproximadamente a 165 mts de altitude. Neste ponto ocorre uma palestra acerca da história da ferrovia e são dadas explicações relativas ao funcionamento da locomotiva a vapor e acerca do funcionamento de uma ferrovia. Durante o passeio são servidas guloseimas e bebidas aos visitantes. O retorno da composição à rampa de embarque se dá após a palestra. A duração do passeio é de 45 minutos.
Mais informações acesse o endereço: abpfsc.com.br,

Galeria de imagens do passeio


Veja como chegar


Estrada Geral Subida, Apiúna – SC
Apiúna / SC
Apiúna /

CEP: 89160-000
Telefone: (47) 3644-5077
E-mail:efsc@abpfsc.com.br
Sempre no 2º e 3º domingo do mês , com saídas de hora em hora das 10:00hs até 16:00hs
2,8 KMS
45 min
Plataforma de embarque no centro da localidade de Subida, com acesso pela rodovia Br470, Km 112 + 500 mts ( a partir de Blumenau ou Km 113-500mts a partir de Rio do Sul. / Pátio da Usina Hidrelétrica Salto Pilão – Subida – Apiúna ( SC )
Túnel, viaduto de dois arcos, passagem superior, corte profundo de 170mts, passagem por mata atlântica preservada, ampla visão do Rio Itajaí –Açú e Usina Salto Pilão. Guia informando a história local e da história da extinta EFSC, com explicação do funcionamento da locomotiva a vapor. Venda de guloseimas e bebidas a bordo e arte ... ver mais
Túnel, viaduto de dois arcos, passagem superior, corte profundo de 170mts, passagem por mata atlântica preservada, ampla visão do Rio Itajaí –Açú e Usina Salto Pilão. Guia informando a história local e da história da extinta EFSC, com explicação do funcionamento da locomotiva a vapor. Venda de guloseimas e bebidas a bordo e artesanato variado no local do embarque.
Temos nos arredores 2 restaurante: um com buffet de comida colonial e outro à la carte com pratos à base de peixes. Além dos restaurantes, temos também lanchonetes.
Música ao vivo no Restaurante Vila Franzói, situado nas imediações do embarque, durante a hora do almoço, levada a efeito por artistas locais.
No interior da composição o atrativo fica por conta do barulho da locomotiva em sua subida de serra e na descida o enfoque são as palestras histórico – culturais.
A Estrada de Ferro Santa Catarina originou-se da necessidade de melhoramento das comunicações ao longo do vasto território que compunha a Colônia Blumenau, fundada em 1850 pelo alemão Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau. As trâmites iniciais para a construção da ferrovia iniciaram-se em 1899, porém somente em 1908 as obras ... ver mais
A Estrada de Ferro Santa Catarina originou-se da necessidade de melhoramento das comunicações ao longo do vasto território que compunha a Colônia Blumenau, fundada em 1850 pelo alemão Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau. As trâmites iniciais para a construção da ferrovia iniciaram-se em 1899, porém somente em 1908 as obras puderam ser iniciadas na prática, concluída a burocracia para o levantamento dos recursos, obtidos na Alemanha.
Os primeiros 70 kms da ferrovia, ligando Blumenau até Hansa, atualmente território do município de Ibirama, foram concluídos em outubro de 1909, trecho este administrado então por um consórcio Alemão denominado Santa Catharina Eisenbahn Gesellschaft. Foi a única ferrovia Brasileira a utilizar capital e tecnologias Alemãs nos seus quilômetros iniciais.
Em 1918 em função da 1ª guerra mundial a Alemanha perdeu a concessão de exploração da via férrea que foi então administrada pelo governo federal Brasileiro, que a arrendou ao governo estadual Catarinense em 1920. Foi o governo estadual de Santa Catarina que construiu o segundo trecho da ferrovia a partir de 1923, ligando a localidade de Subida até o alto vale do Itajaí na região de Rio do Sul, sendo concluído este trecho na estação de Barra do Trombudo em 1937, momento em que a ferrovia atingiu sua época de ouro. Atualmente o “Trem da EFSC“ utiliza-se dos primeiros quilômetros revitalizados deste trajeto.
Vários prolongamentos ainda ocorreram. Em 1954 a ferrovia chegava a Itajaí no litoral Catarinense, em 1958 a Trombudo Central e em 1964 até a estação do bairro São João em Agrolândia, momento em que faltavam apenas 70 kms para alcançar a ligação com o Tronco Principal Sul em Ponte Alta do Sul.
Sua desativação ocorreu no dia 13 de março de 1971.
Passagem pelo viaduto de dois arcos, onde se descortina ampla visão do Ribeirão Subida que passa por um dos arcos do viaduto e da estrada geral de subida que passa pelo outro arco, onde há também a paisagem campestre.
A partir do Km 1,200 é possível vislumbrar o rio Itajaí e suas corredeiras e a ponte sobre a BR-47
... ver mais
Passagem pelo viaduto de dois arcos, onde se descortina ampla visão do Ribeirão Subida que passa por um dos arcos do viaduto e da estrada geral de subida que passa pelo outro arco, onde há também a paisagem campestre.
A partir do Km 1,200 é possível vislumbrar o rio Itajaí e suas corredeiras e a ponte sobre a BR-470. Com sorte é possível ver a prática de “rafting” no leito do rio.
A passagem pelo resquício de mata atlântica é um belo atrativo para quem tem olhos voltados a preservação da natureza e suas sutilezas.
Nos quilômetros finais a paisagem do rio Itajaí Açú emoldurado pelas montanhas, ainda com mata preservada, e do canal extravasor da hidrelétrica formam uma paisagem de grande beleza.